Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara aprova Campanha de Conscientização “Maio Amarelo”

Câmara aprova Campanha de Conscientização “Maio Amarelo”

por irt — publicado 09/04/2015 11h05, última modificação 05/10/2018 15h42
“A sociedade precisa tratar os acidentes de trânsito como uma epidemia, que precisa ser evitada com muita prevenção”, destacou o autor do projeto Rafael Lucas
Câmara aprova Campanha de Conscientização “Maio Amarelo”

Segundo Rafael, a cor amarela chama a atenção e lembra que a responsabilidade para mudar os números de acidentes é de todos nós.

        Com o objetivo de chamar a atenção da sociedade sobre os altos índices de mortes e feridos no trânsito, o Legislativo aprovou no último dia 6 de abril por unanimidade de votos, o Projeto de Lei nº 005/2015, que dispõe sobre a instituição de Campanha Educativa para conscientização da população sobre o tema “Maio Amarelo”, visando evitar e baixar os altos índices de mortes no trânsito.

            O autor do Projeto, Rafael Felipe Lucas afirma que esta campanha deverá ser composta por ações de conscientização e educação da população a ser realizada anualmente no mês de maio, coincidindo assim, com o movimento nacional articulado entre Poder Público e sociedade civil espalhados em todo o país. De acordo com ele, a campanha “MAIO AMARELO” tem como finalidade principal conscientizar a população sobre os altos índices de mortes e feridos causados pelos acidentes de trânsito em todo o mundo, mobilizando o envolvimento dos órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações e sociedade civil organizada.

           Dentre as atividades e procedimentos da campanha, conforme Lucas, estão a realização de palestras, simpósios e outros eventos; interação de toda a sociedade civil do município; participação efetiva das autoridades que tratam do assunto sobre transporte e demais autoridades afins; implantação de Fórum de Debates entre as autoridades e entidades civis organizadas do município, de igual forma com as autoridades policiais civis e militares; distribuição de cartilhas educativas para os alunos do ensino fundamental e para a população em geral; campanha publicitária sobre a campanha “MAIO AMARELO”, visando assim, evitar mortes e diminuir acidentes; e demais providências que se fizerem necessárias.

             A referida campanha, em virtude de sua multiplicidade de atividades, será coordenada pelo Poder Executivo e as despesas decorrentes com a presente execução da lei correrão à conta das dotações próprias constantes do orçamento municipal, suplementadas se necessária ou com recursos advindos de convênios, parcerias e similares, a serem firmados com entidades públicas ou privadas ou concessionárias do transporte coletivo, bem como das multas de trânsito arrecadadas no município.

         Segundo Rafael, o “MAIO AMARELO” é um movimento nacional, que nasceu com a mesma perspectiva de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” (câncer de mama) e o “Novembro Azul” (câncer de próstata). O Laço Amarelo foi escolhido por sua imagem relacionada ao tema. “Tem como objetivo chamar a atenção da sociedade sobre os altos índices de mortes, feridos e sequelados permanentes no trânsito no país e no mundo e mobilizar órgãos de governos, empresas, entidades e sociedade em geral,para discussão do tema, com ações e propagação do conhecimento, abordando toda a amplitude que o mesmo exige”, destaca.

          Lucas conta que a Assembleia Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito". O documento foi elaborado com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhões de mortes por acidentes de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas. “São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas, sendo a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são os primeiros responsáveis por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade, os segundos na faixa de 5 a 14 anos e os terceiros na faixa de 30 a 44 anos”, frisa o vereador afirmando que atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano, ou um percentual entre 1% e 3% do produto interno bruto de cada país.

           Antes de concluir, Lucas frisa que a intenção da Lei é fazer com que a sociedade trate os acidentes de trânsito como uma epidemia e que ações, neste sentido, são de extrema importância para evitar e prevenir tais acidentes. “A cor amarela chama a atenção e lembra que a responsabilidade para mudar os números de acidentes é de todos nós”, finaliza o vereador pedindo a ajuda da imprensa na divulgação da campanha.

 

(Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Irati)

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI