Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Secretária de Ecologia e Meio Ambiente discorre sobre as atividades da pasta, esclarecendo dúvidas

Secretária de Ecologia e Meio Ambiente discorre sobre as atividades da pasta, esclarecendo dúvidas

por rafamaier — publicado 19/04/2017 16h20, última modificação 05/10/2018 15h48
Secretária de Ecologia e Meio Ambiente discorre sobre as atividades da pasta, esclarecendo dúvidas

Secretária Municipal de Ecologia e Meio Ambiente, Magda Adriana Lozinski

    A convite da Casa, na Sessão Ordinária do dia 17 de abril, a Tribuna Popular foi utilizada pela Secretária Municipal de Ecologia e Meio Ambiente, Magda Adriana Lozinski, que discorreu sobre as ações da pasta. Os vereadores esclareceram dúvidas, fizeram indagações e muitas sugestões.

   Magda fez uma breve prestação de contas dos quatro primeiros meses de gestão, relatando que a Secretaria hoje conta com 29 funcionários, sendo 27 efetivos (serviços gerais), um cargo comissionado e uma secretária. “A pasta realiza basicamente serviços gerais, bem como, limpezas urbana e rural, coleta seletiva de resíduos recicláveis, coleta verde, limpeza dos cemitérios municipais, do Parque Aquático, que tem um funcionário fixo, entre tantos outros serviços, sendo que 96% do quadro de funcionários está diariamente em execução”. Hoje, conforme Magda, a maior dificuldade está relacionada ao espaço que abriga a Associação Malinowski e a Cooperativa Cocair, as quais precisam ser realocadas e a situação do Aterro Sanitário.

   O vereador Rogério Luís Kuhn cumprimentou a secretária pelo bom desempenho das atividades, comentando sobre a Lei Municipal que permite parceria entre empresários e poder público para manutenção de praças, buscando saber se já existe alguma empresa realizando a atividade? Magda afirmou que se trata de uma lei bastante importante para manutenção não só de praças, mas de rotatórias também, mas que ainda não há empresas conveniadas com a Prefeitura. Rogério se disponibilizou a ajudar a administração neste sentido e a atrair empresas, as quais precisam conhecer mais os benefícios dessa parceria.

    Wilson Karas falou sobre o recolhimento do óleo de cozinha. “Na Cooperativa de Gonçalves Júnior existe uma máquina que filtra o óleo, deixando o mesmo limpo, o qual pode ser usado para muitas coisas, inclusive para biodiesel. Precisamos fazer uma parceria com a Prefeitura”. Magda disse que estão estudando e buscando uma relação harmoniosa com o Conselho Municipal de Meio Ambiente, “ainda existe nada neste sentido, mas já estamos elaborando um projeto”.

   Edson Luís Elias parabenizou pela coragem de assumir uma secretaria de tanta responsabilidade. Perguntou também sobre a situação do aterro sanitário localizado no Pinho de Cima? A secretária afirmou que com o passar dos anos vêm aumentando as irregularidades em relação a área. “Hoje temos irregularidades de caráter documental, pois o espaço está penhorado para a União. Precisamos de uma anuência da União para o funcionamento. Existem também várias irregularidades de caráter ambiental, a área hoje não tem mais vida útil, não cabe mais resíduos, já foi derrubada inclusive a reserva legal do espaço”, destacou Magda contando que a contaminação do solo pelo chorume já atingiu inclusive fontes de água do Pinho, a vizinhança da área já não dispõe mais de qualidade na água. “O MP vem batendo nesta questão para regularização do mesmo. A prefeitura já recebeu sete notificações e sabemos que a solução terá que ser de cárter emergencial.  Estamos estudando para tentar resolver corretamente a situação a longo prazo. A área atual não pode mais ser ampliada, pois já estamos no limite”.

     Em relação ao mencionado pelo Rogério sobre a parceria entre a iniciativa privada e o poder público, Roni Surek pediu mais atenção para que esta lei seja melhor estudada juntamente as entidades ligadas ao comércio para que haja maior estímulo. Sobre uma cidade florida como era em gestões passadas, Roni quis saber em relação ao plantio de mudas, sugerindo parceria com a APAE. Outra sugestão seria estudos para arborização da cidade. Surek pediu também que a prefeitura cobre do DNIT mais cuidados na entrada da cidade e também na Rua Ladislao Grechinski. O vereador indagou sobre a situação do viveiro municipal? E para concluir agradeceu o atendimento à sua indicação para limpeza na Praça da Amizade. Sobre a arborização, Magda afirmou que já estão trabalhando em um projeto em parceria com a secretaria de planejamento. E sobre o Viveiro Municipal, Lozinski disse que o mesmo não está produzindo mudas de flores, somente enxertia em mudas de pêssego e ameixa.

     Valdenei Cabral da Silva parabenizou pelo trabalho e quis saber sobre os resíduos eletroeletrônicos, se a empresa que realizou esta importante coleta teve custos para o município? Magda disse que dessa vez não, que conseguiu algumas parcerias e realizou o trabalho, mas, que para as próximas coletas, já estão buscando parceria com o Conselho Municipal de Meio Ambiente, o qual dispõe de fundo que pode ser usado para estes fins.

    Alberto Schereda perguntou sobre a reciclagem no município, o quanto se recicla hoje e qual a destinação correta das pilhas de rádio?  Sobre o reciclável, Magda disse que a maior dificuldade está na separação do lixo, que não é feita pela população. “Hoje a Associação e a Cooperativa brigam por material reciclável, porque não tem. Precisamos conscientizar a população”. Em relação segundo a secretária, as pilhas, ainda não há um lugar que elas possam ser depositadas, “estamos estudando soluções para esta situação”.

    José Bodnar parabenizou pelo trabalho e quis saber sobre a empresa Dalpel e o Cemitério a ser construído em área de preservação permanente e de restrição de uso. Magda disse que tanto a Secretaria, demais órgãos e o conselho do meio ambiente estão envolvidos estudando esta situação.

    Helio de Mello perguntou sobre o contrato com a empresa HMS, até quando se estenderá? Magda disse que o contrato se encerra no dia 17 de dezembro de 2017. “A intenção da prefeitura é não continuar com a terceirização e desenvolver um projeto de transbordo de resíduos. Caso o MP interdite o aterro, essa será a solução, através de um projeto com uma usina de reciclagem. O ideal será acoplar carretinhas de recicláveis atrás dos caminhões de coleta. Deste modo o lixo orgânico seria coletado junto com o reciclável. Hoje ainda não dispomos de dinheiro, mas estamos estudando as possibilidades”. Mello pediu fiscalização próximo a Cruz Vermelha, seguindo para Gonçalves Júnior, onde lixos estão sendo depositados. Sugeriu também a colocação de mais lixeiras na cidade e um olhar clínico voltado para as comunidades com ICMS Ecológico. O Presidente citou também os terrenos na área rural que podem ser utilizados para cultivo de madeira, que mais tarde podem ser utilizadas na construção de pontes. Para finalizar sobre o citado pelo Rogério e pelo Roni da parceria entre empresas e poder público, Helio disse que esta casa se coloca à disposição para adotar a Praça da Amizade, que fica em frente à Casa.

     Magda agradeceu o espaço na Câmara e afirmou que a Secretaria de Meio Ambiente está de portas abertas para discussões e sugestões.

Acompanhe a Sessão Ordinária completa, com os questionamentos dos vereadores na íntegra no site www.irati.pr.leg.br através do ícone “Sessões Gravadas”.

(Assessoria Câmara Municipal de Irati)

 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI