Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar fala sobre projetos em andamento e responde questionamentos

Secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar fala sobre projetos em andamento e responde questionamentos

por rafamaier — publicado 15/03/2017 10h54, última modificação 05/10/2018 15h48
Secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar fala sobre projetos em andamento e responde questionamentos

Na Tribuna, Raimundo Gnatkowski responde questionamentos dos vereadores

   A convite da Casa, na Tribuna Popular, o Secretário Municipal de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar, Raimundo Gnatkowski, fez uma prestação de contas sobre os projetos já em andamento da pasta e ações futuras, respondendo questionamentos dos vereadores.

    O Secretário destacou a importância da secretaria, tendo em vista que Irati é um município basicamente agrícola. Hoje segundo ele, trabalham dentro da pasta 14 funcionários, sendo oito técnicos. “Desde que assumimos estamos atendendo uma média de 100 pessoas por dia, chegando até 210 atendimentos em um mesmo dia. Temos hoje 3.886 produtores cadastrados, ou seja, 28% do orçamento do município vem dos blocos de notas dos produtores. No comércio temos 1195 empresas, somando 38% de arrecadação e 239 indústrias que correspondem a 34%”.

   Raimundo destacou os projetos já em andamento, mencionando a vontade do prefeito, que almeja que 100% do fornecimento de verduras no município seja do Programa Ecotroca ou do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. “Estamos trabalhando fortemente na comunidade de Guamirim em prol da produção de mel; na recuperação de nascentes; na parte de regularização fundiária; readequando o trabalho de microbacias; na área habitacional rural são 53 casas já em andamento, final de março deverão ser entregues já 20 residências; no PNAE, que atende a educação e trabalha  com as associações no interior, as quais somam 70; no projeto do Rio Imbituvão, onde um pessoal da Alemanha tem trazido recursos para Irati através da Unicentro em parceria com a Prefeitura; com manejo de floresta, e dentro da agrovila trabalhando com erva-mate e pinheiro; com plantações de shiitaki no Itapará; entre outros projetos.

     Gnatkowski discorreu ainda sobre as ações futuras. “Pretendemos alavancar o setor de embutidos, tendo em vista que 70% dos produtos vem de fora; implantar o cultivo de oliveiras; produção de frangos caipira; apoio e produção de erva-mate; fomento e comercialização em feiras; construção da sede própria da secretaria; apoio a apicultura; reorganizar o programa Ecotroca; fomentar a produção de cogumelos comestíveis; incentivo a piscicultura; entre outras ações.

    Com o intuito de auxiliar a agricultura, o vereador Nivaldo Bartoski afirmou que o Deputado Estadual Hussein Bakril está intercedendo por Irati e trará para o município uma máquina, que deverá auxiliar os trabalhos de melhorias nas estradas rurais. Também citou a enorme dificuldade dos produtores em relação aos financiamentos e juros abusivos. Pediu ao secretário apoio para que estas negociações sejam facilitadas e melhoradas ao homem do campo.

     Wilson Karas pediu atenção do secretário em relação ao projeto de microbacia, que precisa atender todas as comunidades da linha do leite. Também sugeriu apoio e incentivo para produção de frango caipira. “Precisamos de um abatedouro, um frigorífico e de um técnico que oriente os produtores. Sabemos que é um projeto que dá certo, pois já existia antes, mas precisamos de suporte por parte da administração”. O secretário disse que o projeto de microbacia está se encerrando em algumas localidades e logo abrangerá mais três comunidades. “Sobre o frango caipira, já temos um abatedouro na comunidade do Rio Corrente, portanto, vamos sim trabalhar para que este projeto aconteça novamente”.  

    Sobre a arrecadação do município, o vereador José Bodnar enalteceu a base agrícola de Irati, lamentando a falta de reconhecimento dos produtores, como por exemplo, com essa absurda reforma da previdência rural. O vice-presidente Roni Surek parabenizou o executivo por dar continuidade ao Programa Ecotroca e pediu ao secretário que encaminhe para esta Casa, uma relação de todas as associações de agricultores que estão em funcionamento, devidamente legalizadas, bem como, o contato de todos os diretores das referidas associações.

    Valdenei Cabral da Silva comemorou a informação repassada pelo secretário sobre os 3886 blocos de produtores rurais. “Representa a maior indústria do nosso município, em torno de 20 mil pessoas trabalhando na agricultura, 28% do orçamento do município, 52% de arrecadação, magnífico. É por estes e tantos outros motivos, que estamos sempre cobramos melhorias nas estradas rurais, e pelo direito de ir e vir com segurança dos nossos produtores”. Cabral indagou o secretário sobre a vinda de um veículo no valor de R$ 50 mil destinado pelo deputado estadual Marcio Pauliki. Também quis saber se há projetos de melhoria de genética para os animais e qual a associação que vai fornecer os alimentos para o Programa Ecotroca? Conforme Raimundo, a assessoria do deputado entrou sim em contato com a secretaria e garantiu o valor para compra de veículo. “Aproveitamos a oportunidade e solicitamos mais oito computadores, tendo em vista que a secretaria se encontra com dificuldades administrativas por falta de computadores”. Sobre a melhoria de genética, “já entramos em contato com o Amilcar da Emater para que este trabalho seja intensificado e acompanhado. Inclusive alguns lugares como o Pirapó, por exemplo, já têm tudo de inseminação o que favorece bastante o trabalho. Estamos nos organizando e profissionalizando-se no setor”. Em relação ao Programa de Ecotroca, todos os produtores estão sendo cadastrados. “Queremos que o nosso agricultor produza, pretendemos chegar a 50 famílias, será uma empresa bem organizada, mas não sabemos ainda qual, porque haverá licitação”.       

    Edson Luís Elias elogiou a postura do secretário, que sempre foi uma pessoa honesta, humilde e dedicado em prol da agricultura.  O Presidente Helio de Mello sugeriu ao executivo apoio e incentivo aos feirantes e associações, que estão bastante desestimuladas. “Ambos perderam a credibilidade por falta de apoio”. Sobre o ICMS Ecológico, de acordo com Mello, também não existe apoio e nem organização nas comunidades, algo precisa ser feito”.  Em relação aos blocos de produtores, o Presidente sugeriu que haja maior divulgação por parte da administração, pois ainda existem muitos filhos de produtores sem cadastrar-se. “Recentemente também recebi a informação que há recursos disponíveis na Secretaria do Planejamento do Estado para construções e aquisição de equipamentos e que Irati foi um dos poucos municípios que ainda não visitou a secretaria”, afirmou Helio.

      Raimundo disse que estão com sérios problemas de locomoção por falta de veículos na secretaria, mas que ainda esta semana deverão ir até Curitiba. “Sobre o ICMS Ecológico, estamos pleiteando uma técnica florestal para atender as comunidades com ações voltadas a produção de erva-mate, abelhas, pinheiros precoces, entre outros. Vamos oferecer incentivo e suporte aos agricultores”. Para concluir o Presidente, baseado na dificuldade com veículos, sugeriu ao Raimundo a realização de licitação para locação de veículos dentro da necessidade. “Não podemos perder recursos por falta de automóveis”, concluiu.

Acompanhe os questionamentos dos vereadores na íntegra, no site www.irati.pr.leg.br através do ícone “Sessões Gravadas”.

(Assessoria Câmara Municipal de Irati)

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI