Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vereadores aprovam quatro pedidos de vistas de créditos adicionais

Vereadores aprovam quatro pedidos de vistas de créditos adicionais

por irt — publicado 23/10/2015 10h03, última modificação 05/10/2018 15h45
Vereadores aprovam quatro pedidos de vistas de créditos adicionais

Vereadores criticam administração por falhas e falta de comprometimento em diversos setores

       Na Sessão Ordinária do dia 19 de outubro, quatro novos projetos de leis do Executivo, 18 requerimentos dos Vereadores e uma Moção de Aplausos para a empresa Engeprócons Pré-fabricados foram lidos no Expediente. Na Ordem do Dia, quatro projetos foram votados e aprovados e quatro pedidos de vistas de créditos adicionais do Executivo também foram aprovados, acompanhe:

ORDEM DO DIA

      Em segunda votação foi aprovado por unanimidade de votos o Projeto de Lei nº 024/2015, de autoria do Vereador Valdenei Cabral da Silva, que dispõe sobre a criação da Campanha Educativa de Conscientização denominada “Álcool também é Droga e Mata”. Em primeira votação foram aprovados os Projetos de Leis nº 103/2015, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar na importância de até R$ 190.000,00; nº 104/2015, autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial na importância de até R$ 19.000,00; e o nº 105/2015, que autoriza o Executivo a receber em doação área de terreno correspondente a 19.214,72m², pertencente à empresa Taky Empreendimentos e Participações Ltda.

      Já os Projetos de Leis nº 085/2015, que autoriza o Executivo a contratar operações de crédito com a Agência de Fomento do Paraná S.A; nº 086/2015, autoriza o Executivo a abrir um Crédito Adicional Especial na importância de até R$ 13.000.000,00; nº 101/2015, autoriza o Executivo a abrir crédito adicional suplementar na importância de até R$ 8.442.500,00 e o nº 102/2015, que autoriza o Executivo a abrir crédito adicional especial na importância de até R$ 1.345.000,00 tiveram pedidos de vistas solicitados pelo Vereador Emiliano Gomes aprovados em plenário por unanimidade de votos. Com relação ao pedido de vistas relacionado ao PL nº 101/2015, o líder do prefeito Alceu Hreciuk defendeu a propositura, que segundo ele, “trata-se de um projeto importante para o bom andamento das secretarias, visto que em algumas pastas já estão faltando até mesmo materiais permanentes por falta de verba”.    

PALAVRA-LIVRE

      Hélio de Mello citou o requerimento de sua autoria solicitando que seja enviado ofício ao Ministério Público, requerendo a realização de um Termo de Ajuste de Conduta com o Executivo com relação à melhoria das estradas rurais. Tal solicitação está embasada nos inúmeros pedidos feitos pelos vereadores, moradores, associações, sindicatos e Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural. “Esperamos que o MP convoque o Executivo e realize um ajuste de conduta, indicando o que vão fazer, qual a estrada, qual a comunidade e onde irão trabalhar? Porque o descontentamento da comunidade é grande”.

     Rafael Lucas discorreu sobre as falhas e falta de comprometimento da administração em relação à realização da 14ª Jornada de Agroecologia. “Este evento chegou até a Câmara com a promessa de que não geraria custos para o município, o que não ocorreu, visto que a responsável oficial pelo evento e a grande patrocinadora foi a Prefeitura. “O patrocínio que viria da Caixa Econômica não veio, pois a prefeitura não encaminhou a documentação necessária”. Lucas afirmou ainda que esse orçamento de quase R$ 300 mil é muito maior do que muitos orçamentos, que estão no orçamento municipal. O dinheiro aplicado no evento é muito maior do que gastamos com segurança por ano, é muito maior do que gastamos com ciência e tecnologia e com o departamento de recursos humanos”, lamentou.

      Vilson Menon criticou as empresas que prestam serviços relacionados à parte de software no município. “A atual gestão alterou o sistema antigo com a promessa de melhorar a qualidade, mas as reclamações são constantes. Segundo contadores e contribuintes, o sistema não roda via web, ou seja, não pode ser acessado online e não é mais permitido emitir certidões negativas ou guias de recolhimento online, ou seja, não há mais autoatendimento”, lamentou Menon pedindo que o Executivo tome providências com o rompimento de contrato, pois “estamos pagando por um produto de primeira e temos um serviço de terceira qualidade. É obrigação da administração oferecer segurança aos funcionários, contadores e a toda população".

 

Acompanhe a Sessão Ordinária completa, com o discurso dos parlamentares na íntegra no site www.irati.pr.leg.br através do ícone “Sessões Gravadas”.

 

(Assessoria Câmara Municipal de Irati)

 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI