Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vereadores desabafam sobre a falta de postura do executivo e a precariedade das estradas rurais

Vereadores desabafam sobre a falta de postura do executivo e a precariedade das estradas rurais

por irt — publicado 24/02/2016 13h54, última modificação 05/10/2018 15h45
Vereadores desabafam sobre a falta de postura do executivo e a precariedade das estradas rurais

"Nós vereadores, não temos o poder de execução, podemos apenas indicar e pedir melhorias ao executivo", afirmou Vilson Menon

      Sem projetos para votação na Ordem do Dia, durante a Sessão Ordinária do dia 22 de fevereiro, os vereadores aproveitaram a palavra-livre para desabafar e discorrer sobre alguns temas em nome da população. Dos 11 requerimentos apresentados pelo Legislativo, seis são pedidos para melhorias nas estradas rurais que dão acesso as comunidades e os demais são, em sua maioria, indicações para melhorias em vias urbanas. 

      O Vereador Antonio Celso de Souza fez uma breve prestação de contas, destacando a gestão de recursos planejada e organizada da Câmara Municipal. “Nós encerramos no ano de 2015 no dia 30 de dezembro e juntamente com a mesa diretora devolvemos ao executivo mais de R$ 600 mil. Parabenizo a Mesa pelo comprometimento de zelar pelo dinheiro público. Da mesma maneira, cumprimento também a Mesa Diretora passada, que também devolveu aos cofres públicos mais de R$ 400 mil. Uma economia considerável, uma Câmara enxuta, que não tem desperdício de dinheiro público, dinheiro que é do povo e que retorna para que seja reaplicado em benfeitorias”. Souza citou também algumas obras que já foram licitadas, com destaque para o Centro Cultural de Guamirim e o espaço esportivo na comunidade do Pinho de Baixo.

        Hélio de Mello destacou a importante Romaria Penitencial do Itapará, que será realizada no próximo dia 28, mas lamentou a falta de acesso da comunidade, devido à precariedade das estradas rurais. “Já são 20 anos de história desta Romaria, de organização, propagação e divulgação, onde as pessoas se reúnem para professar e aviventar a sua fé, principalmente neste período de quaresma. Momento em que os fiéis realizam suas orações, preces, vias sacras, confissões, uma tradição católica, que conta ainda com várias partes do rito ucraniano, preservando a tradição. Mas em meio a tudo isso, há uma grande preocupação, a dificuldade de acesso à comunidade. São centenas de ônibus oriundos de diversas cidades e estados, mas a precariedade das estradas vem enfraquecendo este importante evento na comunidade”, lamenta Mello citando também a dificuldade e o sofrimento dos pacientes que residem em tais comunidades e precisam de atendimento de saúde frequentemente.        

        Emiliano Gomes solicitou pela sétima vez ao executivo apoio para a Associação Universitária Iratiense. “Esta luta teve início no ano de 2013, quando houve a formalização da AUI, que conta com mais de 300 alunos que se deslocam todos os dias as cidades de Guarapuava, Ponta Grosa e União da Vitória. Em nome dos estudantes, peço mais uma vez ao executivo, que agende uma reunião com os membros para que juntos possamos analisar as possibilidades do referido auxílio, que vai com certeza fazer a diferença para os filhos, netos e bisnetos iratienses”. Para Gomes, esta contrapartida municipal ampliará as possibilidades de desenvolvimento educacional e social do município, “não se faz educação de qualidade sem investimentos”. Emiliano ainda citou o artigo 37º da Constituição Federal que trata sobre Moralidade, fazendo menção a promessa de campanha do prefeito que se comprometeu em ajudar os estudantes e até agora não cumpriu com sua palavra.

         Vilson Menon desabafou em relação à falta de postura do executivo e de cidadãos que desconhecem a função dos vereadores. “Acredito que de agora em diante não precisamos mais fazer 400 requerimentos por ano, talvez nós devêssemos fazer apenas dois requerimentos. Irati precisa de melhorias nas estradas rurais e ponto. Hoje tivemos vários pedidos de melhorias nas estradas das comunidades, porém, o lamentável é que podemos fazer oito mil requerimentos e a situação vai continuar a mesma. Até quando vamos ficar aguentando esta situação?”, desabafa.

        Outro fator preocupante apontado por Menon foi que nos últimos tempos aproveitadores vêm criticando os vereadores em redes sociais.  “Nós não temos o poder de execução, podemos apenas indicar, sugerir e pedir melhorias ao executivo. Não executamos, não podemos fazer o trabalho e até quando seremos responsabilizados por estes aproveitadores, aqueles que desconhecem ou preferem não conhecer qual é realmente a função dos vereadores?”, indaga o Presidente da Casa afirmando que esta situação o faz repensar até que ponto vale a pena ser vereador.

 

Acompanhe a Sessão Ordinária completa, com o discurso dos parlamentares na íntegra no site www.irati.pr.leg.br através do ícone “Sessões Gravadas”.

(Assessoria Câmara Municipal de Irati)

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

NAVEGUE AQUI